PROGRAMA VIV-À-RTE ULTRAPASSA 2 MIL JOVENS EM ITABUNA

ERIC SOUZA | FICC ASCOM

A Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC) iniciou, na sede da fundação, a segunda etapa da Formação dos Educadores Sociais do Programa Viv-à-rte, em parceria com a Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), através do programa “Jovem Bom de Vida”, na última sexta-feira (14). O encontro, segundo explica a coordenadora do Viv-à-rte, Dayse Santos, visa emponderar os educadores acerca das possibilidades a serem alcançadas a partir do desenvolvimento de um trabalho responsável e consciente.

Através do Viv à rte crianças e jovens têm acesso a vários cursos Foto ASCOM FICC
Através do Viv à rte crianças e jovens têm acesso a vários cursos

“Iniciamos hoje a segunda etapa de formação com a exibição do filme ‘Na Quebrada’. Após a análise do filme, faremos um confronto entre as práticas cotidianas vivenciadas pelos educadores, buscando reconhecer em cada um o educador social em prática. Paralelamente, fomentaremos a correlação com os objetivos propostos pelo programa”, afirmou Dayse.

Dayse Santos Queremos emponderar os educadores das possibilidades a serem alcançadas Foto Eric Souza
Dayse Santos Queremos emponderar os educadores das possibilidades a serem alcançadas

O programa Viv-à-rte foi implantado pela Prefeitura de Itabuna em 2013 e tem como objetivo oportunizar o fortalecimento do protagonismo juvenil ente os jovens atendidos. Atualmente, o programa possui 29 educadores sociais que articulam ações através das habilidades de capoeira, futebol, artesanatos, música, instrumentos musicais, danças, etc.

A ideia do Viv-à-rte, aparentemente simples, é revolucionária. “O que a prefeitura fez foi um chamamento às pessoas que possuem habilidades diversas para que, em parceria com o poder público, coloquem essas habilidades à disposição dos que querem aprender. E os ganhos têm sido extraordinários, pois estamos dando uma alternativa para as pessoas, para os jovens, que, antes, não tinham acesso ao contraponto dos cenários de vulnerabilidade a que eram submetidos”, disse Dayse. “Somando a força de um educador social, com a força de outro, juntos, atingimos hoje 2 mil jovens na cidade inteira e mais que isto, estamos estimulando a produção de identidades e sentidos para jovens e educadores”, explicou.

Entre os cursos oferecidos o de Futebol de Campo enriquece o sonho de muitos em tornarem se profissionais Foto ASCOM FICC
Dayse Santos Queremos emponderar os educadores das possibilidades a serem alcançadas

Na linha de frente do projeto, encontram-se educadores sociais como Luciano Aguiar, que dá aulas de Fotografia & Maquiagem no Zizo e no Centro. Para ele, “o projeto é muito importante porque ele não se preocupa somente com o jovem em si, mas, sobretudo, com todo o contexto social no qual ele está inserido, como a família. Sistematicamente, falamos sobre os conteúdos que precisam ser trabalhados em cada curso, mas abordamos temas outros nas áreas de Saúde e Cidadania, principalmente”, explicou ratificando que, se o jovem não for transformado num profissional da área, pelo menos ele terá preceitos para se transformar num cidadão melhor no futuro.

Luciano Aguiar dá aulas de Fotografia e Maquiagem Foto Eric Souza
Luciano Aguiar dá aulas de Fotografia e Maquiagem

O mesmo entusiasmo é observado em Bruna Setenta, que dá aulas de Capoeira no bairro Conceição: “Com a orientação dos supervisores e da coordenação, a gente tenta fortalecer a parceria firmada com os alunos, nas oficinas diversas”. Ela disse ainda que “os encontros de formação também são muito importantes porque não se perde o foco daquilo que mais interessa, que são os alunos, eles que estão no ponto extremo do projeto”, apontando que “a exibição que foi feita do filme ‘Na Quebrada’ trouxe um novo olhar para o trabalho que a gente faz, que, por vezes, compete com a marginalização e com circunstâncias que colocam a vida das crianças e dos jovens em risco”.

A criação e a manutenção do programa como o “Viv-à-rte” e também do projeto “Casa das Artes”, ambos geridos pela FICC, colocou Itabuna entre os 100 municípios brasileiros com gestão pública eficiente, segundo avaliação feita pela Associação Nacional dos Prefeitos e Vice-prefeitos do Brasil (ANPV), em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Os projetos são contínuos e ainda há vagas em alguns cursos. As informações completas podem ser obtidas na sede da FICC, localizada na Praça Laura Conceição, 339 – Centro ou pelo telefone 3613 4915. Todos os cursos são oferecidos gratuitamente.

Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC).
Assessoria de Comunicação (ASCOM).

.
  • Criado em .
© Copyright 2012/2017 FICC
Todos os direitos reservados.

Praça Laura Conceição, 339
Centro - Itabuna/BA
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
(73) 3613-4915

Receba todas as informações da FICC em seu emails.
Cadastre seu email no formulário ao lado.

Newsletter

© Copyright 2012/2017 FICC
Todos os direitos reservados.
Praça Laura Conceição, 339, Centro
Itabuna/BA
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
(73) 3613-4915