TODAS AS HOMENAGENS AO CYRO DE MATTOS

TEXTO: ERIC SOUZA | ASCOM FICC (com pesquisa bibliográfica feita em cyrodemattos.blogspot, acessado em 18/10/2016).

Escritor será homenageado na próxima sexta-feira (21), em Itabuna, numa sessão solene assinada pela Academia de Letras de Itabuna (ALITA) e pela Academia de Letras de Ilhéus (ALI). 

Cyro de Mattos. Por carlos Souza . 530
Cyro de Mattos. Por carlos Souza . 530

Ex-presidente da FICC é, atualmente, um dos escritores brasileiros mais consagrados. 

Cyro Pereira de Mattos. Itabunense. Contista, poeta, cronista, ensaísta e autor de livros infantis. Já publicou 38 livros, possui 50 prêmios literários. Pelos números e pela história, constata-se a grandiosidade dessa que é uma das maiores expressões da Cultura Grapiúna. Neste ano de 2016, Cyro de Mattos, como é mais conhecido, vem recebendo inúmeras homenagens e vem se consagrando ainda mais como literato e como personalidade histórica da região e do estado da Bahia.

No mês de agosto, o escritor foi eleito na Academia de Letras da Bahia (ALB) para ocupar a cadeira de nº 22 daquela casa, a mesma que foi ocupada por Ruy Barbosa. Antes disso, ele já presidira a Academia de Letras de Itabuna (ALITA) e a Academia de Letras de Ilhéus (ALI). Também já foi presidente da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC) entre 2009 e 2011. Neste período, segundo aponta a professora Genny Xavier, coordenadora do projeto “Letras Que Voam”, mantido pela fundação, “a passagem de Cyro de Mattos foi muito importante porque, como um conhecedor do universo literário de nossa cidade, ele trouxe muitos desses expoentes para um plano de políticas públicas que até então ainda não existiam. Foi a partir de Cyro de Mattos que a FICC passou a concretizar lançamentos de livros diversos, alguns dos quais, desde a revisão literária até a publicação propriamente dita, foram patrocinadas pela fundação. Também na gestão dele, alguns projetos importantes para a nossa cidade tiveram continuidade e cresceram até, como a Paixão de Cristo e o Festival Multiarte”, aponta a coordenadora.

A professora Denize Tavares, atual coordenadora do Programa de Arte e Cultura em Áreas de Interesse Social (PACAIS) da FICC também aponta que “Cyro de Mattos teve um olhar bastante sensível para com o painel artístico de Genaro de Carvalho, que existe na Praça Adami, em Itabuna, e efetivou a sua restauração, bem como criou novos monumentos, como “A Saga do Cacau”, que foi construído na Avenida Aziz Maron. Cyro também reintroduziu em nossa cidade as discussões sobre a organização, na esfera política, de tudo o que se relacionaria com desenvolvimento cultural. A própria luta sobre a retomada do espaço anexo da FICC [o que foi ocupado até 2015 irregularmente] foi iniciada na gestão de Cyro”, relembrou.

aIMG 8370
aIMG 8370

A reitora da UESC, professora Adélia Pinheiro, outorga ao escritor Cyro de Mattos o título de Doutor Honoris Causa, em setembro de 2016, título inédito na história da universidade. 

Com todos os requintes e refinamentos que cabem à sua história, a Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) conceceu-lhe, no dia 15 de setembro o inédito título de Doutor Honoris Causa. Trata-se da maior e mais especial titulação que uma instituição pode conceder à alguém. Na cerimônia, a reitora da UESC, Adélia Carvalho, ratificou a solicitação feita pela professora Reheniglei Rehen, do Departamento de Letras e Artes (DLA), de quem partiu a iniciativa.

A professora Nilmecy Gonçalves, atual presidente da FICC, remonta um episódio recente sobre Cyro. “Logo quando eu terminei de organizar algumas coisas na FICC, depois de duas ou três semanas de trabalho, eu já havia planejado algumas realizações importantes e uma delas estava a comemoração dos 15 anos da FICC. E telefonei para o Cyro de Mattos para convidá-lo a vir participar da FELITA (Festa Literária de Itabuna) porque iríamos fazer ali, e fizemos, uma homenagem aos ex-presidentes. Ele ficou muito feliz com o convite e foi dele que surgiu a ideia de reforçarmos essa homenagem com a inauguração de uma Galeria dos Presidentes. Nos movimentamos e, dali a um tempo, estaria pronta a galeria que fora sugerida por ele”, pontou a presidente, indicando a exposição permanente hoje existente na FICC, com quadros pintados a mão inpirados nas fotos de todos os gestores que já passaram por ali.

Uma próxima homenagem está sendo preparada, agora, justamente pelas duas principais academias literárias da região Sul da Bahia: a ALITA e a ALI, que realizarão, juntas, uma sessão solene destinada a festejar o ingresso de Cyro de Mattos  na Academia de Letras da Bahia.  A sessão acontecerá no próximo dia 21 de outubro de 2016 (sexta-feira), às 19h30min, no Auditório do Hospital de Olhos Beira Rio.

Para Sônia Maron, atual presidente da ALITA, “a homenagem prestada ao Cyro de Mattos pela ALITA, academia da qual ele foi o fundador e pela Academia de Letras de Ilhéus, como um de seus membros é o mais justo e merecido reconhecimento do mundo intelectual da região ao escritor, poeta, contista, ensaísta, enfim, o literato no mais amplo sentido, que projetou o nome de sua cidade além fronteiras, representando uma geração”.

Conheça Cyro de Mattos

painel

Quando foi presidente da FICC, entre 2009 e 2011, Cyro de Mattos marcou sua gestão, entre outras realizações, com a restauração do painel artístico de Genaro de Carvalho, existente na Praça Adami. 

Cyro de Mattos nasceu em Itabuna, em 31 de janeiro de 1939, filho de Augusto José de Mattos e Josephina Pereira de Mattos. Diplomado em advocacia pela Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia, em 1962. Como universitário, dirigiu o jornal “A Palavra”, do Centro Acadêmico Ruy Barbosa. Hoje, advogado aposentado, depois de militar durante quarenta anos nas comarcas da região cacaueira na Bahia. Jornalista com passagem na imprensa do Rio de Janeiro, onde foi redator do “Diário de Notícias”, “Jornal do Comércio” e “ O Jornal”. Ainda no Rio de Janeiro, de 1966 a 1971, colaborou com artigos e contos nas revistas “A Cigarra”, “Cadernos Brasileiros” e  “Leitura”, no “Jornal do Escritor”, “Jornal de Letras”, suplementos literários do “Jornal do Comércio” e “Jornal do Brasil”. Nos últimos vinte e cinco  anos, colaborações suas aparecem na “Revista da Bahia” (Salvador), revistas “Exu”, da Fundação Casa de Jorge Amado (Salvador), “Quinto Império”, do Gabinete Português de Leitura (Salvador), “Iararana” (Salvador),  “Cultural A Tarde”, do jornal “A Tarde” (Salvador), “O Escritor”, da União Brasileira de Escritores (São Paulo), “Jornal da Manhã” (Sergipe), “Tribuna do Escritor” e  “RioArtes” (Rio de Janeiro),   “Suplemento Literário  de  Minas  Gerais” (Belo Horizonte), Revista de Literatura Brasileira (São Paulo) e “Literatura” ( Brasília).

Como escritor, já publicou  38 livros, possui 50 prêmios literários, e, entre eles, o Prêmio Nacional de Ficção Afonso Arinos, concedido pela Academia Brasileira de Letras para o livro “Os Brabos”, o Prêmio Jabuti (menção honrosa) para “Os Recuados”, o Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte para “O Menino Camelô” e, com o “Cancioneiro do Cacau”, o Prêmio Nacional Ribeiro Couto da União Brasileira de Escritores, Rio de Janeiro, para livros inéditos, e o Segundo Prêmio Internacional Maestrale Marengo d’Oro, Gênova, Itália. Recebeu também os títulos da Ordem do Mérito da Bahia e Personalidade Cultural da União Brasileira de Escritores, Rio de Janeiro. Participa de várias antologias internacionais do conto, como “Visões da América Latina”, publicada na Dinamarca, incluindo, entre outros, Jorge Luís Borges, Alejo Carpentier, Miguel Angel Asturias, Juan José Arreola, Julio Cortazar, José Donoso, Mario Vargas Llosa, Juan Carlos Onetti, Juan Rulfo, Mário de Andrade, Aníbal Machado e Clarice Lispector, e “Narradores da América Latina”, editada na Rússia, em que figuram, entre outros, Julio Cortazar, Mario Benedetti e Rosário Castellanos. Poemas seus foram incluídos na antologia “Poesia do Mundo 3”, organizada por Maria Irene Ramalho de Sousa Santos, da Universidade de Coimbra,  publicada em Portugal, com tradução de  Manuel Portela para o inglês, reunindo poetas de dezesseis países.

O nome de Cyro de Mattos figura em obras como “Novo Dicionário da Língua Portuguesa”, de Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, “Dicionário Literário Brasileiro”, de Raimundo de Menezes, “Enciclopédia de Literatura Brasileira”, de Afrânio Coutinho, “Literatura e Linguagem”, de Nelly Novaes Coelho, “Navegação de Cabotagem”, de Jorge Amado, “Bibliografia Crítica do Conto Brasileiro”, de Celuta Moreira Gomes e Theresa da Silva Aguiar e “Enciclopédia Barsa”. Participou como convidado do III Encontro Internacional de Poetas da Universidade de Coimbra,Portugal, em 1998, e da Feira do Livro em Frankfurt quando autografou a antologia poética “Zwanzig Gedichte Von Rio und andere Gedichte”, tradução de Curt Meyer-Clason, publicada pela Projekte-Verlag, de Halle. Foi um dos três poetas brasileiros que participou como convidado do XVI Encontro de Poetas Iberoamericanos promovido pela Fundação Cultural de Salamanca, Espanha, em outubro de 2013. A obra de Cyro de Mattos tem sido reconhecida pelos críticos como significativa e, pela versatilidade que alcança em sua expressividade, linguagem adequada e moderna, já faz parte da literatura brasileira contemporânea. Hoje, ele é membro da Academia de Letras da Bahia e também do Pen Clube do Brasil.

 

  • Criado em .
© Copyright 2012/2017 FICC
Todos os direitos reservados.

Praça Laura Conceição, 339
Centro - Itabuna/BA
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
(73) 3613-4915

Receba todas as informações da FICC em seu emails.
Cadastre seu email no formulário ao lado.

Newsletter

© Copyright 2012/2017 FICC
Todos os direitos reservados.
Praça Laura Conceição, 339, Centro
Itabuna/BA
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
(73) 3613-4915
X

Right Click

No right click