Vivarte

A Casa das Artes (Unidade Sarinha CSU), inaugurada no dia 19 de fevereiro de 2015, pela Prefeitura de Itabuna, através da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC) completou 30 dias de funcionamento e os primeiros resultados já se refletem na elevação da autoestima de todos os que participam dos cursos ministrados naquele espaço. Atualmente, aquela unidade oferece quatorze cursos: Ballet, Violão, Canto, Artes Maciais, Dança Afro, Teclado, Percussão Afro, Desenho e Pintura, Teatro, Violino, Muay Thai, Percussão de Banda Marcial, Futebol e Flauta.

A coordenadora Luciana Seara diz que a casa deverá atingir 25 mil ainda no primeiro semestre - Foto Eric Souza
A coordenadora Luciana Seara diz que a casa deverá atingir 25 mil ainda no primeiro semestre - Foto Eric Souza

Para Danielle Verissimo da Silva, moradora do bairro São Caetano, "os cursos oferecidos na Casa das Artes são uma grande oportunidade para quem sonha em ser um artista". E complementa: "Eu escolhi fazer aulas de canto porque sonho em ser cantora", disse Danielle.

Daniele Veríssimo faz aulas de Canto e quer se tornar uma grande cantora - Foto Eric Souza
Daniele Veríssimo faz aulas de Canto e quer se tornar uma grande cantora - Foto Eric Souza

De acordo com a coordenadora, Luciana Seara, cerca de mil alunos já estão matriculados em diversos cursos. A expectativa é a de atingir o total de 2,5 mil crianças, jovens e adultos até o final do primeiro semestre de 2015. Luciana explicou ainda que a comunidade tem recebido o projeto com muito carinho. "A procura em participar dos cursos está sendo não só dos jovens, mas, de toda a família. Enquanto os filhos estão participando de aulas de violão, os pais estão em outro curso, isso é gratificante para nós que, estamos realizando sonhos", acrescentou Seara.

Em três aulas alunos já executam canções nos violinos - Foto Eric Souza
Em três aulas alunos já executam canções nos violinos - Foto Eric Souza


Segundo a professora de Violino, Samira Guimarães, a arte é transformadora. "Aqui, o aluno aprende não só a tocar violino, mas, a ser uma pessoa melhor. Sempre digo para os meus alunos duas coisas como forma de mudança: a primeira é Deus; e a segunda é a Educação, a arte entra no contexto educação, que é um elemento de conversão de vida".

Entre traços e formas curso de Desenho faz surgir novos olhares sobre as coisas do mundo - Foto Eric Souza
Entre traços e formas curso de Desenho faz surgir novos olhares sobre as coisas do mundo - Foto Eric Souza

Devaldino Batista dos Santos (70 anos), morador do bairro Nova Ferradas disse que foi bem recebido pela equipe e que participa de duas aulas, a de Teclado e a de Violão. "O meu desejo é cada vez mais me especializar", explicou empolgado, indicando, inclusive que, para aprender, não tem idade. Basta querer.

Para Márcio da Silva Araújo Coutinho, morador do bairro Jardim Primavera, "os cursos oferecidos pela fundação são excelentes, algo que eu observei é que os alunos não precisam comprar os instrumentos para participarem das aulas. Cada oficina tem seu instrumento, isso facilita muito. Além disso, os professores são qualificados e o ambiente adequado para as aulas", explicou Márcio.

Nas aulas de Capoeira estudantes aprendem que arte e autoafirmação caminham juntos - Foto Eric Souza
Nas aulas de Capoeira estudantes aprendem que arte e autoafirmação caminham juntos - Foto Eric Souza

A Casa das Artes (Unidade Sarinha CSU) funciona diariamente de segunda à sexta, das 8h às 18h. Além dessa unidade, a FICC mantém em funcionamento também uma unidade no Centro e outra no bairro da Conceição. Quem tiver interesse em participar dos cursos, pode buscar as informações completas na sede da FICC, localizada na Praça Laura Conceição, 339 – Centro. O telefone para contato é (73) 3613 4915.

Samira Guimarães disse que a arte é transformadora - Foto Eric Souza
Samira Guimarães disse que a arte é transformadora - Foto Eric Souza


Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC)

Assessoria de Comunicação (ASCOM)

 

.
  • Criado em .

Emoção, sonho e magia marcaram o evento de abertura das atividades do Programa de Arte e Cidadania (PAC), mantido pela Prefeitura Municipal de Itabuna, através da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC). Por este programa, a FICC fomenta os projetos “Viv-à-rte” e “Casa das Artes”. O evento aconteceu nesta quinta-feira (12), no Teatro Amélia Amado, na Ação Fraternal de Itabuna – AFI.

Evento contou com apresentações de teatro música e dança demonstrando-se o poder de transformação dos movimentos culturais em todos os bairros de Itabuna - Foto Ricky Mascarenhas
Evento contou com apresentações de teatro música e dança demonstrando-se o poder de transformação dos movimentos culturais em todos os bairros de Itabuna - Foto Ricky Mascarenhas

No evento, foi feita a apresentação do espetáculo “O Pequeno Príncipe”, cuja montagem carregou consigo uma linguagem que misturou a dança, o teatro e a música. A professora Denise Tavares, coordenadora pedagógica da FICC, explicou que “o Programa de Arte e Cidadania é uma ação que potencializa a arte fortalecendo a cidadania executado pela FICC e que atua em duas frentes: o Programa de Arte e Cultura em Interesse Social (PACAIS), através do qual financia-se o projeto “Casa das Artes”, e o “Viv-á- rte”, que atende crianças e adolescentes em tempo integral.

Mais de mil pessoas prestigiaram o lançamento do Viv-à-rte e Casa das Artes em 2015 - Foto Ricky Mascarenhas
Mais de mil pessoas prestigiaram o lançamento do Viv-à-rte e Casa das Artes em 2015 - Foto Ricky Mascarenhas

O presidente da FICC, professor Roberto José da Silva, disse que “para construir uma cidade melhor é preciso sonhar juntos, e acreditando nessa construção o prefeito Vane está investindo em projetos de inclusão da arte e da cultura em nossa cidade”.

Influenciada por uma amiga a participar das aulas de ballet, a adolescente Aline Andrade, moradora do bairro Fonseca, relatou queas aulas, para ela, se transformaram numa paixão. “O meu sonho é ser bailarina, um desejo que despertou, quando comecei a participar das aulas de ballet disponibilizadas pelo programa Vi-à-rte lá mesmo no meu bairro, o que facilita muito pra mim que não teria dinheiro para pagar o transporte se as aulas fossem em um outro bairro”, disse Aline.

O presidente da FICC Roberto José da Silva fala que Itabuna é uma cidade que tem servido de exemplo nos projetos de proteção da população vulnerável - Foto Ricky Mascarenhas
O presidente da FICC Roberto José da Silva fala que Itabuna é uma cidade que tem servido de exemplo nos projetos de proteção da população vulnerável - Foto Ricky Mascarenhas

Para a professora de ballet Beatriz de Almeida Midlej, vinculada ao PACAIS, “ajudar as crianças com algo positivo, transformando um sonho em realidade é um incentivo a mais a querer e a buscar algo novo para estar oferendo a elas”. Beatriz explica ainda, que “o ballet clássico é considerado um sonho para muitas meninas, e através desse sonho, poder oferecer a elas uma expectativa de vida, trançando um caminho longe das drogas, prostituição e criminalidade é algo fantástico”.

Crianças e adultos se encantaram com a apresentação teatral Foto Ricky Mascarenhas.JPG
Crianças e adultos se encantaram com a apresentação teatral Foto Ricky Mascarenhas

As aulas do Viv-à-rte e da Casa das Artes serão iniciadas no próximo dia 23 de fevereiro. As matrículas já estão abertas e as informações completas podem ser obtidas na sede da FICC, na Praça Laura Conceição, 339 – Centro, ou pelo telefone (73) 3613 4915. Os interessados podem fazer cursos diversos, entre os quais ballet, danças, violão, bateria, teclado, capoeira, futebol, teatro, reclicagem de material, artesanato, informática, bateria e percussão.

___________________________________________

Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC)

Assessoria de Comunicação (ASCOM)

Villiane Reis

Fotos: Ascom/FICC

.
  • Criado em .

Gestores da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania – FICC e os integrantes da equipe coordenadora do programa "Viv-à-rte", atualmente vinculado à fundação, realizaram na ultima quinta-feira (15), a primeira reunião de 2015 com os pais e alunos aprovados na seletiva Bolshoi realizada em Itabuna, no ano passado.

A aluna Lauane Batista do programa Viv-à-rte é a primeira aluna itabunense selecionada para participar de projeto no Bolshoi - Foto Villiane Reis
A aluna Lauane Batista do programa Viv-à-rte é a primeira aluna itabunense selecionada para participar de projeto no Bolshoi - Foto Villiane Reis

O evento contou com a presença da "Mãe Social" Antônia Santos. A "Mãe Social" é uma pessoa especialmente contratada para cuidar dos estudantes que se hospedarão na "Casa Social", em Joinville / SC. A disponibilidade do imóvel para estudantes de Itabuna se deu numa pactuação firmada entre o programa "Viv-à-rte" e uma escola de ballet do município de Valença, que tradicionalmente já vem mantendo alunos em Joinville.

Antônia explicou que o desejo de se tornar "Mãe Social" surgiu das visitas feitas à sobrinha, que também é aluna da Escola Teatro Bolshoi. Para ela, "a oportunidade a ela apresentada foi somada a vontade que sempre teve de ajudar esses adolescentes, que ficam longe de casa em busca de um sonho".

O presidente da FICC professor Roberto José recepciona alunos e pais de alunos que seguirão para Joinville - FotoVilliane Reis
O presidente da FICC professor Roberto José recepciona alunos e pais de alunos que seguirão para Joinville - FotoVilliane Reis

Pedro Seara, itabunense que há cinco anos estuda no Bolshoi, relata que "estar lá é algo incrível". E ainda aconselha: "É bom que todos os que seguirão cheguem lá e se dediquem bastante. Agarrem essa oportunidade, superando todas as dificuldades, pois é uma experiência única e as oportunidades são diversas".

Durante as falas, percebeu-se também o clima de ansiedade presente entres pais e alunos. Falou-se da vontade de todos de realizarem os seus sonhos e da coragem que precisarão ter para que os desafios sejam superados, entre os quais estarão, obviamente, a imensa saudade que todos sentirão de suas famílias. Pedro Pires, outro itabunense que estuda no Bolshoi desde 2011, compartilhou com os novos colegas que sua maior dificuldade foi ficar longe dos pais: "Sair de casa e ir morar em um lugar novo onde tudo é diferente foi o meu maior desafio e, apesar de estar com outras pessoas você se sente meio que sozinho. Minha motivação é a dança, é o que eu amo fazer!" disse Pedro.

Entre alunos do Viv-à-rte e de outros projetos sociais de Itabuna, ao todo a FICC estará apoiando diretamente a permanência de 5 estudantes no Sul do país. As aulas no Bolshoi se iniciarão no dia 9 de fevereiro.

___________________________________________

Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC)

Assessoria de Comunicação (ASCOM)

Villiane Reis

.
  • Criado em .

 

Os alunos do programa “Viv-à-rte” aprovados para participarem de um curso de Ballet numa das escolas mais tradicionais do Brasil e do mundo, a Escola do Teatro Bolshoi, em Joinville / SC, seguirão para aquela cidade na próxima quarta-feira (25), foi o que assegurou o diretor de Acompanhamento da Gestão da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC), Ricardo Mascarenhas.

A professora de ballet Dayse Santos de camisa mais clara à esquerda acompanhará os estudantes na viagem cujo investimento foi garantido pelo professor Roberto José de camisa preta à direita - Foto Ricky Mascarenhas
A professora de ballet Dayse Santos de camisa mais clara à esquerda acompanhará os estudantes na viagem cujo investimento foi garantido pelo professor Roberto José de camisa preta à direita - Foto Ricky Mascarenhas

Os alunos participaram de uma seletiva realizada em Itabuna, no ano passado, quando o programa Viv-à-rte ainda estava vinculado à Fundação Marimbeta. A gestão do programa foi transferida para a FICC, que deu prosseguimento aos trabalhos para que os estudantes tivessem a condição de seguir para Joinville.

Através da FICC, firmou-se um acordo de parceria entre a fundação e uma escola de ballet de Valença / BA, que já mantém em funcionamento uma casa que abriga os estudantes em Joinville. A professora de Ballet Dayse Santos, uma das integrantes da equipe de Coordenação do Viv-à-rte, estará representando a FICC durante a viagem. A professora acompanhará os estudantes.

Simone dos Santos avó de Lauanny disse que está feliz pela vitória conquistada pela neta - Foto Ricky Mascarenhas
Simone dos Santos avó de Lauanny disse que está feliz pela vitória conquistada pela neta - Foto Ricky Mascarenhas

“Ao todo, a FICC está garantindo a viagem dos quatro estudantes. Garantimos as passagens de avião e a estada desses alunos em Joinville”, disse o professor Roberto José da Silva, presidente da FICC.

Os estudantes Jadson Reis (9 anos), Watson Jesus (11 anos) e Lauanny Santos (11 anos) seguem diretamente para a Escola do Teatro Bolshoi. Na mesma viagem, segue também a ex-educadora social do Viv-à-rte Evelin Maikelle (20 anos), para um aperfeiçoamento profissional na Escola de Dança do Teatro Municipal de Joinville.

Evelin, aliás, indica que já sente muita saudade do seu trabalho como educadora social do Viv-à-rte. Ela iniciou sua carreira, como dançarina, aos 7 anos. Hoje, ela diz que está realizando um sonho: “Comecei estudando com a tia Dayse e desde sempre eu desejei aprimorar o meu conhecimento no ballet. Quando surgiu essa oportunidade, eu a agarrei com toda força e eu me sinto abençoada. Estou ansiosa, com muita expectativa. Espero que dê tudo certo. Quero mesmo me aprimorar como bailarina e acredito que vai dar tudo certo”, disse.

Watson de Jesus contou que no dia da seletiva em Itabuna estava um pouco nervoso, mas depois deu tudo certo e ele foi selecionado. “Eu consegui controlar o nervosismo e eu passei. Agora, eu vou seguir a carreira de bailarino. Vou aprender a dançar ballet clássico. Quero me tornar um bom bailarino e um bom professor”, explicou.

Simone Vitória dos Santos, avó de Lauanny Santos, disse que está com o coração apertado. “Tudo foi muito rápido. A gente não entendeu logo o que estava acontecendo, a família toda ficou surpresa. Aí, veio a preocupação sobre como faríamos para mandar ela para lá. E aí a Prefeitura de Itabuna e a FICC vieram para ajudar. As passagens de avião, a casa onde eles ficarão, tudo foi resolvido e garantido, graças a Deus”, desabafou a avó.

“Na medida em que se aproxima o dia da viagem, sentimos a emoção de estarmos contribuindo com a possibilidade dessas crianças terem um futuro promissor. E, se para a gente, a emoção é muito grande, tenho a absoluta certeza de que é ainda maior para as próprias crianças e suas famílias. Será uma experiência inesquecível para todos nós!”, disse Dayse Santos, indicando que esta é a primeira vez na história de Itabuna que o município investe na permanência de crianças num curso de Ballet fora do estado.

___________________________________________

Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC).

Assessoria de Comunicação (ASCOM).

Texto: Eric Thadeu Nascimento Souza.

Fotos: Ricky Mascarenhas.

 

.
  • Criado em .

A Fundação Itabunense de Cidadania e Cultura- FICC, realizou nesta quarta- feira (04), no Teatro Zelia Lessa, um coquetel de boas-vindas aos educadores sociais do programa Viv-à-rte e aos agentes culturais do Programa de Arte e Cultura em Áreas de Interesse Sociais (PACAIS / Casa das Artes). No total, somando agentes culturais e educadores sociais, a FICC contará, em 2015, com uma equipe composta por 127 pessoas que darão aulas diversas nas áreas de Esportes, Arte, Cultura, Cidadania e Meio Ambiente.

O professor de Capoeira José Cláudio Alves da Silva disse que os projetos da FICC ajudam os jovens a se afastarem do crime - Foto Eric Souza
O professor de Capoeira José Cláudio Alves da Silva disse que os projetos da FICC ajudam os jovens a se afastarem do crime - Foto Eric Souza

Em 2014, a FICC atuou junto ao programa Viv-á-rte como parceira do projeto. Em 2015, a gestão do foi assumida integralmente pela fundação. "O Viv-à-rte tem como objetivo estimular as ações do macro-programa 'Cidade de Paz', dando uma atenção integral aos adolescentes, trabalhando com o educador social na vertente de estimular o trabalho nos eixos transversais. Já o PACAIS busca diretamente estimular as ações de cultura e arte", explicou Dayse Santos, coordenadora pedagógica vinculada à FICC.

O professor de dança Jobson dos Santos disse que a chance de ter mais alunos em 2015 do que em 2014 confere-lhe ainda mais responsabilidade e entusiasmo - Foto Eric Souza
O professor de dança Jobson dos Santos disse que a chance de ter mais alunos em 2015 do que em 2014 confere-lhe ainda mais responsabilidade e entusiasmo - Foto Eric Souza

Na abertura dos trabalhos, o professor Roberto José da Silva, presidente da FICC disse que "é preciso oferecer aos jovens de Itabuna a oportunidade de mudanças, e através da arte, cultura e o esporte, podemos reverter esse quadro de violência em Itabuna. Os projetos que a FICC desenvolve é apenas uma semente, os frutos dessa semente nós veremos a média e logo prazo", indicou.

Em encontro que marca o início dos projetos da FICC em 2015 educares e agentes assinaram os seus contratos - Foto Eric Souza
Em encontro que marca o início dos projetos da FICC em 2015 educares e agentes assinaram os seus contratos - Foto Eric Souza

Para o professor de dança Jobson Vieira dos Santos, vinculado ao PACAIS, "a expectativa para esse ano de 2015 são as melhores, pois a FICC está ampliando os projetos sociais, levando oportunidades para os jovens, que vivem em comunidades que sofrem com a marginalidade". Jobson disse ainda que a arte é uma maneira de devolver para os jovens a esperança de um mundo melhor.

Roberto José dá boas vindas aos educadores Foto Pedro Augusto
Roberto José dá boas vindas aos educadores Foto Pedro Augusto

O professor de capoeira José Cláudio Alves da Silva, selecionado para trabalhar no programa Viv-à-rte, observa que projetos realizados em bairros em vulnerabilidade social, motiva-o cada vez mais a buscar jovens que estão pensando em se envolver no mundo do crime. "Quando esses jovens estão dispostos a mudar, tudo fica mais fácil e os projetos realizados pela FICC, são todos bem laborados, e os resultados são nítidos", acrescenta o educador- social.

Em 2015, a FICC pretende ampliar o alcance dos dois projetos, atingindo-se a marca de dez milpessoas integradas, em todos os bairros da cidade. As aulas na Casa das Artes (unidades "Centro" e "Sarinha / CSU" e "Conceição") serão iniciadas no próximo dia 23 de fevereiro. Já os educadores sociais iniciarão suas atividades já nos próximos dias, com formações específicas organizadas pela FICC. Os cursos do Viv-à-rte devem ser iniciados também no dia 23 de fevereiro. Além disso, a FICC estará levando o projeto "Casa das Artes" também para a Casa de Jorge Amado, em Ferradas, para o Centro de Artes e Esportes Unificados, na Urbis IV e para a Fundação Padre Paulo Tonucci, no Monte Cristo.

No próximo dia 12 de fevereiro (quinta-feira), às 18hs, a FICC realizará um evento no Teatro Amélia Amado (sede da Ação Fraternal de Itabuna), para marcar o início definitivo do Viv-à-rte e do PACAIS em 2015. Na oportunidade, agentes culturais e educadores sociais estarão confraternizando com profissionais da imprensa, estudantes, representantes da sociedade civil e integrantes da equipe gestora da FICC.

Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC).

Assessoria de Comunicação (ASCOM).

Texto: Villiane Reis.

.
  • Criado em .

10385506 370269349816880 3204547072419670884 n

A Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC) prorrogou para o dia 14 de janeiro de 2015 o fim do prazo de inscrições para o processo seletivo de Educadores Sociais do programa Viv-à-rte. O prazo se encerraria nesta sexta-feira (19). A prorrogação visa o preeenchimento de vagas que ainda estão ociosas em algumas áreas, além de permitir a elevação da qualidade profissional dos candidatos que serão escolhidos.

O edital completo do processo seletivo pode ser acessado no endereço http://www.itabuna.ba.io.org.br/diarioOficial/download/353/917/0, podendo ser visualizado a partir da página 19. A equipe de coordenadoras pedagógicas da FICC esclarece ainda que, por conta do fato dos recessos de Natal e Reveillon nos próximos dias, o cronograma fica assim organizado:

CRONOGRAMA

As inscrições seguem normalmente até o dia 23 de dezembro, retomando-se os trabalhos a partir de 5 de janeiro de 2015 e continuando-o até o dia 14 de janeiro, fim do prazo de inscrições.

A previsão é a de que o resultado do processo seja homologado e publicado no Diário Oficial do Município no dia 16 de janeiro. As contratações deverão acontecer a partir do dia 20 do mesmo mês.

É importante que os candidatos interessados leiam todo o conteúdo do edital e só efetivem suas inscrições com a documentação completa em mãos. As inscrições acontecem na sede da FICC, na praça Laura Conceição, 339 – Centro, das 9h às 12h e das 14h às 16h. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (73) 3613 4915.

 

Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC).

Assessoria de Comunicação (ASCOM).

Texto: Eric Thadeu Nascimento Souza.

.
  • Criado em .
© Copyright 2012/2017 FICC
Todos os direitos reservados.

Praça Laura Conceição, 339
Centro - Itabuna/BA
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
(73) 3613-4915

Receba todas as informações da FICC em seu emails.
Cadastre seu email no formulário ao lado.

Newsletter

© Copyright 2012/2017 FICC
Todos os direitos reservados.
Praça Laura Conceição, 339, Centro
Itabuna/BA
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
(73) 3613-4915